Cultura e clima organizacional: qual é a diferença?

Cultura e clima organizacional: qual é a diferença?

Para que uma empresa seja vista como um lugar saudável onde os profissionais queiram estar e buscam desenvolver suas atividades da melhor forma possível, é primordial que ela invista em uma boa cultura e clima organizacional. Tratam-se de elementos fundamentais para o sucesso de um negócio, pois influenciam na forma como as pessoas pensam, agem e reagem no ambiente laboral. É muito comum que muitos profissionais confundam os dois termos. No entanto, cada um dos termos possui suas características e peculiaridades.

Pensando nisso, preparamos esse artigo para te ajudar a entender qual é a diferença entre cultura e clima organizacional, bem como quais são os principais benefícios em valorizar esses elementos. Confira!   

O que é cultura organizacional?

Em primeiro lugar, a cultura organizacional pode ser definida como um conjunto de valores, normas e comportamentos que comandam uma empresa. Tais aspectos devem fazer parte do planejamento estratégico dos negócios, uma vez que devem concordar com o posicionamento que ela deseja adotar perante o seu público – interno e externo. 

Quando esse termo surgiu, no século XVIII, era associada à gestão de comportamento humano. Portanto, a cultura organizacional pode ser definida também como um conjunto de hábitos que são repetidos por seus funcionários ao longo dos anos. Em outras palavras, se trata de um padrão, e quem foge dele, basicamente, não se enquadra na cultura organizacional. 

Podemos dizer também que é a identidade da empresa. Ou seja, se tratarmos a empresa como uma pessoa, ela teria o seu perfil único, sua própria forma de agir, sua linguagem, preferências, objetivos, costumes, até mesmo a maneira com que lida com seus problemas. E de forma geral, essa identidade deve ser transmitida a cada profissional que entre na empresa, para que ele possa seguir, se adaptar e concordar com as diretrizes. Assim, garantindo que todos sigam as mesmas regras e a mesma linha de atuação.

Apesar de ser algo interno, a cultura organizacional pode mudar gradualmente ao longo do tempo, de acordo com as mudanças de comportamento da sociedade e as necessidades do mercado, e até mesmo dos objetivos do negócio. E observar essas mudanças é uma ação fundamental para qualquer gestor que almeja manter sua empresa competitiva e focada. 

O que é cultura organizacional?
Entenda o conceito de cultura organizacional. | Foto: unsplash.com

Tipos de cultura organizacional

Você entendeu o que é cultura organizacional, então, confira os principais tipos de cultura e suas características: 

  • Cultura de poder : é baseada em uma hierarquia inflexível, e líderes com papéis mais centralizados.
  • Cultura de papéis : mais voltada à estrutura dos processos e ao desempenho dos colaboradores.
  • Cultura conservadora : tende a ser mais resistente às mudanças, e abraça as ideais tradicionais.
  • Cultura de inovação: propõe um ambiente propício ao surgimento de novas ideais. Além disso, dá espaço para formas de decisão mais colaborativas. 
  • Cultura adaptativa: diferentemente da cultura de poder, é mais flexível e está em empresas que têm o hábito de revisar constantemente suas práticas, sendo uma cultura aberta à inovação. 
  • Cultura de pessoas : tem como ponto principal a valorização dos colaboradores.
  • Por fim, cultura de performance: está voltada ao desempenho dos funcionários na realização de suas tarefas. Entre outras. 

O que é clima organizacional?

Já o clima organizacional trata-se de uma espécie de termômetro da empresa. Através desse termômetro é possível medir o nível de satisfação e engajamento de seus funcionários em todos os aspectos. Como na relação com os gestores, plano de carreira, ambiente e limpeza, relacionamento com os colegas, satisfação quanto às atividades, benefícios e salários, e muito mais.

Em outras palavras, o clima organizacional é a percepção que os trabalhadores têm sob a empresa. É como os funcionários percebem a qualidade do ambiente, e como este ambiente pode influenciar em seu comportamento. Tal percepção pode ser positiva quando o clima é bom, ou negativa, quando o clima precisa ser melhorado. Um clima positivo pode unir e motivar as equipes. Caso contrário, o número de conflitos é maior e pode resultar em altos índices de rotatividade de talentos, bem como retrabalhos e falhas em processos. 

Além disso, o clima organizacional pode estar em constante mudança, uma vez que depende muito de inúmeros aspectos. Tais como: demissão de um líder, por exemplo, contratações não assertivas, trocas constantes de processos e ferramentas, falta de inovações e valorização, entre outros. Nesse sentido, é importante que os gestores sempre avaliem o clima organizacional de forma periódica, por meio de pesquisa que revelem quais são as impressões dos funcionários acerca do ambiente interno e psicológico. 

Empresas como Google e Facebook são pioneiras e exemplos no mercado quando o assunto é oferecer um bom clima organizacional. Pois, contam com espaço para descanso e lazer dos colaboradores, horários mais flexíveis, maior autonomia, dentre outras ações.

No entanto, vale reforçar que o clima é muito mais complexo que um ambiente decorado e área de lazer. Ele deve ser compreendido como a somatória de valores, tradições, costumes e propósitos que tornam a empresa um lugar agradável e único para se trabalhar.  

Qual é a principal diferença entre cultura e clima organizacional?

Eu entendi o que é cultura e clima organizacional, mas qual a principal diferença? 

Além das características citadas acima, a grande diferença é em relação à sua adaptabilidade. Ou seja, é mais fácil mudar um clima organizacional do que promover mudanças expressivas em uma cultura. Afinal, hábitos e formas de agir são adquiridos ao longo do tempo, e vão passando de funcionário para funcionário, assim, solidificando a cultura.

Já o clima organizacional pode sofrer diversas alterações em um período menor. Pois, está exposto a todos os fatores internos e externos à liderança da empresa. Além de ser facilmente afetado diante de qualquer mudança no mercado.  

Diferenças em termos de abrangência também podem ser destacadas. Isto é, a cultura abrange toda a empresa, fazendo com que os setores e todos os colaboradores andem em uma mesma direção. Em contrapartida, o clima pode variar de acordo com a equipe ou com o setor da empresa.

Mas, apesar das diferenças, ambos os elementos são fundamentais para a gestão de pessoas, construção de equipes de alta performance, e para o alcance dos objetivos organizacionais.    

Qual a principal diferença entre cultura e clima organizacional?
Qual a principal diferença entre cultura e clima organizacional? | Foto: unsplash.com

De que maneira um elemento pode influenciar o outro?

Tanto a cultura quanto o clima organizacional, podem influenciar no desempenho e na produtividade dos seus colaboradores. Afinal, quando um profissional se identifica com o propósito, a missão, os valores e a maneira de conduzir os negócios da empresa, seu trabalho rende muito mais. Pois, esse colaborador se sentirá como parte essencial de algo muito maior do que apenas o seu cargo e a sua profissão.

Do mesmo modo, quando esse mesmo profissional está satisfeito com o clima, e tem um bom relacionamento com a sua equipe, há mais chances de se motivar para alcançar as metas e objetivos propostos e comuns.

Além disso, também é possível que o clima organizacional influencie na cultura, uma vez que, com o passar do tempo, se não for cuidado, pode fazer com que os colaboradores se habituem a uma nova maneira de trabalhar e enxergar as situações. Assim, mudando gradativamente a cultura – e nem sempre para um rumo que atenda às necessidades do negócio. 

Por exemplo, uma start up que começa com uma cultura flexível e adaptativa, com um clima leve, alegre e orientada aos resultados. No entanto, não contrata pessoas com esse perfil, e aos poucos, vai sofrendo alterações em seu clima e, se isso não for avaliado e corrigido, pode se enraizar na cultura da instituição.   

E a cultura organizacional pode influenciar o clima? Sim! Principalmente de maneira positiva, quando é bem desenhada e seguida a risca por seus gestores, fazendo com que os colaboradores se identifiquem de verdade, e “vistam a camisa” da empresa. 

Com isso em mente, é fundamental que os gestores de RH estejam atentos logo no processo de recrutamento e seleção, para garantir que a contratação dos profissionais seja assertiva. Isto é, para garantir que a equipe contrate profissionais que se identifique com a cultura – fit cultural

Por que devemos nos preocupar com cultura e clima organizacional?

Quando estamos trabalhando com esses aspectos de um negócio, estamos lidando diretamente com o capital humano, que tem um grande poder de impactar positiva ou negativamente todos os processos da empresa. Tanto cultura quanto clima organizacional afetam a produtividade, os índices de rotatividade, absenteísmo e retenção de colaboradores. Por esse motivo, são aspectos que requerem cuidado e atenção. 

O ponto de partida é entender os dois conceitos para identificar qual dos dois está merecendo mais atenção, e requer ações estratégicas por parte da organização. A importância em se preocupar com cultura e clima organizacional também está no impacto das relações humanas com os resultados que a empresa deseja alcançar. 

Ter um conhecimento claro sobre a cultura e o clima organizacional da empresa é fundamental para evitar que um influencie negativamente no outro.  

4 principais benefícios em valorizar cultura e clima organizacional

Conciliar um bom clima e uma boa cultura organizacional é desafiador. Por isso, conhecer os dois elementos a finco pode ajudar a evitar desvios de conduta e foco no negócio. Além de proporcionar 4 principais benefícios. Confira:

1. Redução de absenteísmo e aumento do engajamento

Quando o colaborador passa a apresentar muitas faltas ou atrasos, é importante identificar os motivos desse absenteísmo. Muitas vezes, a razão está relacionada às razões pessoais e/ou familiares. No entanto, um clima organizacional ruim também pode ser o responsável pelo aumento dos índices de absenteísmo em sua empresa. Quando a empresa se preocupa com o clima organizacional, uma das consequências é a redução desses índices. O profissional passa não só a evitar faltas e atrasos, como também deseja estar na empresa, pois se sente realizado e valorizado a partir do papel que desempenha. 

Com profissionais motivados, você consegue criar uma equipe engajada e de alta performance. Ou seja, a empresa só tem a ganhar!  

Redução de absenteísmo e aumento do engajamento
Investir em cultura e clima organizacional saudável ajuda a reduzir o absenteísmo e aumentar o engajamento. | Foto: unsplash.com

2. Diminuição do índice de turnover

Os índices de turnover demonstram o cenário da empresa em relação ao desligamento de profissionais, seja ele, voluntário ou involuntário. Índices altos revelam problemas na gestão estratégica de pessoas e também no clima organizacional. Afinal, quando o clima é agradável, menos funcionários sentem o desejo de deixar a empresa.

Também é de interesse dos membros da equipe continuar em uma empresa com uma cultura compatível aos seus valores pessoais. Sendo assim, mapear a cultura ajuda a equipe a fazer contratações mais assertivas.    

3. Fortalecer a marca empregadora 

De encontro aos pontos anteriores, ter uma equipe que compartilha da política da empresa, sua missão e valores, e contribui para um melhor relacionamento da equipe e um alinhamento com os objetivos do negócio, traz como consequência a alta performance, resultados incríveis, motivação e maiores chances de transformar os colaboradores em verdadeiros embaixadores da marca. 

Além disso, ao reconhecer que o capital humano deve estar sempre em primeiro lugar, algumas práticas do setor de RH tendem a evitar o estresse no trabalho. E contribui não só para um clima organizacional saudável, como faz com que outras pessoas queiram fazer parte. Entre as ações, podemos citar: 

  • implantação de horários flexíveis;
  • políticas de feedback;
  • programas de descanso e ginástica;
  • palestrar motivacionais e com dicas para evitar o esgotamento mental, por exemplo;
  • apoio psicológico;
  • acesso facilitado à saúde, entre outras.

4. Aumento da produtividade e da qualidade

Por fim, você deve concordar que: há mais produtividade em ambientes organizados, agradáveis, onde as equipes não possuem conflitos, bem como entendem com clareza as suas funções. Nesse sentido, a produtividade aumenta quando cultura e o clima organizacional concordam com as necessidades e os valores dos colaboradores.

Não só a produtividade aumenta, como também os resultados, devido a uma melhor qualidade na entrega de produtos e/ou serviços. Tudo isso é reflexo de uma cultura e um clima organizacional bem estruturado e saudável.  

Conclusão

A partir desse conteúdo, você conseguiu observar que a cultura é o conjunto de normas, valores e comportamentos que comandam o negócio. Enquanto o clima organizacional é uma espécie de termômetro usado para medir o nível de satisfação e engajamento de seus funcionários, e pode ser facilmente alterada ao longo dos dias. 

Ambos são elementos fundamentais para o sucesso de um negócio, pois, quando saudáveis, são capazes de reduzir custos, aumentar a qualidade e a eficiência, além de fortalecer a marca empregadora. 

Com isso, esperamos que esse conteúdo tenha sido útil para você. Deixe nos comentários se a sua empresa já investe em uma boa cultura e clima organizacional. E não se esqueça de compartilhar esse material em suas redes sociais.

Além disso, aproveite para acompanhar mais conteúdos como este nas redes sociais da EMPREGARE.com. Estamos no Instagram, no LinkedIn, e no Facebook. Além disso, disponibilizamos conteúdo enriquecedor em nosso canal no YouTube.

Busca Booleana: o que é e como usá-la em seus processos seletivos
Previous article Busca Booleana: o que é e como usá-la em seus processos seletivos
Como aumentar a produtividade na empresa? Confira essas 10 dicas!
Next article Como aumentar a produtividade na empresa? Confira essas 10 dicas!

Escreva um comentário

Close