Modelos de Gestão de Pessoas: conheça os principais

Principais modelos de Gestão de Pessoas

Com frequência, as práticas de gestão e liderança vem evoluindo, e as organizações estão em busca de adaptar seus métodos e práticas para atender aos novos moldes sociais, bem como as necessidades da empresa. Nesse sentido, novos modelos de gestão de pessoas se solidificaram, criando opções administrativas interessantes para situações e tipos diferentes de organizações. 

Pensando nisso, trouxemos esse material para entender um pouco como funcionam os principais tipos de gestão de pessoas, confira! 

O que significa Gestão de Pessoas? 

O que significa gestão de pessoas
O que significa gestão de pessoas? | Foto: unsplash.com

Em resumo, a gestão de pessoas é uma área da organização que tem como objetivo principal administrar e promover o bem-estar e a qualidade de vida operacional de seus funcionários. Vai muito além de apenas recrutar ou gerenciar salários e benefícios. 

Esse termo é fundamental para o desempenho, motivação e produtividade dos funcionários. Além disso, refere-se a um conjunto de práticas para contratar, alinhar, estimular e desenvolver colaboradores, tornando-os cada vez mais competentes. Ao utilizar uma boa estratégia de gestão de pessoas, sua empresa poderá contar com uma equipe de alta performance. Assim, aumentando o valor competitivo da empresa no mercado.

Mais do que uma responsabilidade do setor de Recursos Humanos, a gestão de pessoas é responsabilidade da alta administração, em especial dos superiores que gerenciam suas equipes. Dessa forma, sem os líderes, não há uma gestão eficiente. 

Entenda a seguir qual é a importância de conhecer adequadamente os principais modelos de gestão de pessoas.

Leia também: Estratégias de Gestão de Saúde e Bem-estar dos colaboradores

Qual a importância de conhecer os modelos de gestão de pessoas?

As palavras produtividade e eficiência são consideradas as mais importantes para um bom desempenho, visto que estamos inseridos em um mercado cada dia mais competitivo. Por isso, falar sobre os modelos de gestão de pessoas está ficando cada vez mais comum entre os profissionais.

Isso porque os benefícios de uma gestão eficiente podem ser notados de diferentes formas. Entre eles estão: 

  • A possibilidade de construir um negócio bem-sucedido.
  • Adequar o RH à cultura organizacional.
  • Facilidade ao pensar em boas práticas de gestão, desde o recrutamento até o processo de desligamento. 
  • Maximizar os resultados a depender da sua aplicação, entre muitos outros. 

Isso tudo é resultado de um mercado cada dia mais interessado em buscar alternativas para que o gerenciamento de pessoas seja assertivo e eficaz. Com isso em mente, confira a seguir quais são os principais tipos de gestão de pessoas, o foco desse artigo. 

Principais modelos de Gestão de Pessoas

Não importante se bons ou péssimos gestores, todos os profissionais algum dia já tiveram que lidar com todos os tipos de gestão de pessoas ao longo de suas carreiras. 

O modelo de gestão varia muito de acordo com a organização, com seus objetivos, com a cultura e até mesmo com os produtos que são oferecidos. Existem inúmeros modelos de gestão de pessoas, mas, hoje nós vamos trazer os 8 principais, confira a seguir:

1 – Inspiradora

Liderar não é só mandar ou ter uma postura autoritária, inclusive, o foco da gestão inspiradora é justamente motivar alguém a fazer algo que precisa ser feito. Inspirar alguém, ou motivar alguém não é uma tarefa fácil. Porém, quando se alcança esse objetivo, os resultados são expressivos. 

A gestão de pessoas inspiradora tem como característica principal exigir grande dedicação do líder em adotar hábitos excelentes na empresa. Esses bons hábitos não envolvem apenas a execução das tarefas, e o alcance das metas. Mas, também envolve a questão ética e o respeito profissional com todos da equipe, independente de seu nível hierárquico.

O líder que consegue alcançar esses objetivos, terá admiradores e, com certeza, formará uma equipe de alta performance. Além disso, como características marcantes, um líder inspirador é confiável, e está sempre disposto a enfrentar desafios ao lado da equipe. Esse gestor é autêntico, verdadeiro e trabalha com base na clareza e na transparência de informações. 

Você deve imaginar que os resultados são incríveis. Afinal, se somos positivamente inspirados, fazemos o melhor e nos tornamos excelentes naquilo a que propomos fazer e entregar.

2 – Modelos de Gestão de Pessoas: Democrática

Como o próprio nome diz, esse tipo de gestão honra o nome e trata-se de um gerenciamento onde os colaboradores têm liberdade para expressar suas opiniões sobre as decisões importantes da empresa. Além disso, nessa gestão há uma demonstração de confiança naquilo que os profissionais têm a oferecer para a organização como um todo.

A gestão democrática parte do princípio de que todos são importantes, por isso devem ser ouvidos e respeitados. Trata-se de um trabalho mais colaborativo e que depende muito do empenho da equipe para alcançar resultados. 

Além disso, nesse modelo de gestão, a comunicação aberta possibilita a gestão de ideias, assim, de um número mais de soluções para os problemas da organização. Na gestão democrática as habilidades sociais, a criatividade e a flexibilidade ganham destaque.

Como consequência, os profissionais se sentem motivados para buscar aprimoramento e conhecimento para poderem fazer contribuições cada vez mais efetivas.

3 – Autoritária

A gestão de pessoas autoritária é o modelo mais comum na realidade de muitas empresas. No entanto, as empresas que ainda apostam na autoridade possuem uma alta taxa de turnover. Isso acontece, pois, esse é o modelo que menos permite a participação ativa dos colaboradores. 

Muitas vezes, suas opiniões não valem para os gestores, que costumam usar o “faça o que eu digo” para comandar e obter resultados. Assim, o gestor está focado apenas nos resultados e para ele pouco importa se há motivação ou engajamento, criando, muitas vezes, um ambiente pesado. 

Algumas empresas adotam esse modelo apenas em momentos de crise, ou em casos onde é preciso reorganizar a empresa pela necessidade de decisões rápidas, por exemplo. Mas, geralmente esse modelo é por um tempo mínimo determinado. Pois, quando aplicado de forma contínua, gera desmotivação e impede o desenvolvimento dos talentos. 

4 – Modelos de Gestão de Pessoas: Colaborativa

Gestão de Pessoas Colaborativa
Tipos de Gestão de Pessoas: Colaborativa. | Foto: unsplash.com

A gestão colaborativa se parece muito com a democrática, só que ela vai além da tomada de decisões que recebe a participação da equipe. 

Dessa forma, o modelo de gestão de pessoas colaborativa não só contribui em decisões rotineiras. Mas, também em decisões políticas da empresa. Nesse modelo todos os membros das equipes têm voz, independente do assunto que é discutido. 

Assim, há um compartilhamento maior de idade entre profissionais distintos, que trabalham em prol de um único objetivo: o sucesso do negócio. 

Através da gestão colaborativa é possível desenvolver novos conhecimento e habilidades nos talentos. Além disso, muitas ferramentas podem ser utilizadas. Como o brainstorming, fazendo com que os funcionários consigam extrair as melhores ideais nas decisões, e buscar por novas soluções de trabalho.  

5 – Modelos de Gestão de Pessoas com foco em resultados

Esse modelo possui uma visão diferente dos outros tipos de gestão de pessoas. Enquanto a maioria prioriza um método de processo a ser seguido pelas equipes, o foco aqui é o resultado, independente do procedimento usado para alcançá-lo. Assim como na gestão democrática e colaborativa, aqui há uma participação maior dos colaboradores, visto que as responsabilidades são divididas. 

Nesse sentido, tanto os resultados quanto a trajetória do profissional são valorizados em uma empresa com esse modelo de gestão. 

Por isso, é tão importante a construção de objetivos claros a serem alcançados. E ainda, a transparência do gestor nas ações, em feedbacks sobre os resultados é uma das características principais desse modelo.  

6 – Carismática

Esse modelo de gestão de pessoas é um reflexo da personalidade do líder, cujo foco principal é o relacionamento interpessoal e o carisma do mesmo. Assim, ele será capaz de inspirar a todos que estão ao seu redor. 

A ideia é criar um ambiente amistoso e prazeroso, que valoriza as questões humanas, bem como o lado emocional de sua equipe. Por meio de uma relação mais próxima do gestor com a sua equipe, a tendência é que o ambiente de trabalho seja muito mais agradável.

Como consequência, a empresa terá uma equipe mais motivada, gerando um alto valor competitivo no mercado, mostrando ao mesmo que a empresa é uma excelente marca empregadora.  

7 – Modelo de Gestão de Pessoas por competência

Sem dúvidas, esse é um dos tipos de gestão de pessoas que mais preza pelas habilidades de seus talentos. Nesse cenário, o líder coloca como prioridade a definição de funções certa para cada um de seus colaboradores. A ideia é acertar cada vez mais na escolha do profissional ideal para o cargo.

Além disso, o gestor estará o tempo todo monitorando e acompanhando se o colaborador está satisfeito em sua função. Bem como se está desempenhando o trabalho que o deixa motivado para alcançar tantos seus resultados, como os resultados da organização. 

Nesse modelo, os colaboradores são recompensados por suas competências técnicas e comportamentais, aliados aos resultados que são entregues. O foco desse modelo é o treinamento e desenvolvimento, a avaliação, e a certificação de competências que irão aumentar a produtividade e a competitividade de uma empresa. 

Trata-se de um modelo mais estratégico, que existe dos gestores um olhar clínico sobre suas equipes. 

8 – Centralizadora

Por último, mas não menos importante, temos o modelo de gestão de pessoas centralizadora, que é muito utilizado ainda nas empresas. No entanto, é um modelo que tende a gerar desconfiança e um acúmulo de funções do gestor, que está frequentemente sobrecarregado. 

Isso porque a centralização das responsabilidades é sempre um fator que prejudica a distribuição de tarefas, visto que o gestor acredita que só dele sabe fazer bem feito. Ou seja, tem dificuldade em delegar.

Como resultado desse modelo de gestão de pessoas, há uma insatisfação dos colaboradores aumentando as taxas de absenteísmo e turnover. Assim, comprometendo os resultados da organização.

Dessa forma, assim como na gestão autoritária, a gestão centralizadora deve ser usada apenas em momentos de crise ou quando os resultados precisam ser imediatos. Visto que nesses casos os gestores não têm tempo hábil para deletar determinadas funções.   

Modelos de Gestão de pessoas. | Foto: unsplash.com

Conclusão

Em conclusão, você deve estar se perguntando: são tantos modelos de gestão de pessoas, como escolher o melhor tipo para a minha empresa? É uma pergunta bastante complexa, pois, tudo depende de fatores internos e externos como, o líder, os colaboradores, o contexto econômico, entre outro. 

No entanto, os modelos de gestão que são baseados na participação e no diálogo devem ser priorizados sempre que possível. Assim, possibilitando o engajamento no trabalho de acordo com os objetivos da organização. 

Por fim, o que você achou desse conteúdo? Deixe nos comentários se você identificou algum desses modelos de gestão de pessoas em sua empresa. E não se esqueça de compartilhar esse material em suas redes sociais. 

Aproveite para acompanhar mais conteúdos como este nas redes sociais da EMPREGARE.com. Estamos no Instagram, no LinkedIn, e no Facebook. Além disso, disponibilizamos conteúdo enriquecedor em nosso canal no YouTube.

Discriminação em vagas de emprego é crime?
Artigo anterior Discriminação em vagas de emprego é crime?
o que é gestão estratégica de pessoas
Próximo artigo Gestão estratégica de pessoas: o que é?

Escreva um comentário

Fechar